Páginas

1 de ago de 2013

Resenha: A Garota Que Perseguiu a Lua, de Sarah Addison Allen

Edição: 1
Editora: Planeta do Brasil
Ano: 2012
Páginas: 243
Tradutor: Alice Klesck

Sinopse: Depois da morte da mãe, Emily é mandada à cidade para morar com o avô que até então não conhecia, e começa a se envolver com os (muitos) mistérios de Mullaby. Para isso, ela conta com a ajuda de Julia, uma confeiteira que estudou com a mãe e que carrega um grande segredo.
Existem mesmo papéis de parede que mudam de cor? De onde vêm as famosas luzes de Mullaby? Poderia um dos bolos de Julia trazer de volta um amor perdido? Entre histórias de amor, de perdão, acontecimentos inexplicáveis e doces deliciosos, descubra os segredos de Mullaby.



ResenhaA primeira coisa que eu notei e já fiz uma anotação mental para colocar na resenha deste livro foi a primeira páginas dos capítulos. Achei super diferente, são poucos livros que eu leio que fazem uma diagramação especial em páginas específicas.



Vou dizer logo de cara: gostei do livro, achei uma história super fofa, mas fui só eu que percebi um toque de Crepúsculo na coisa toda? Briga e segredos de família, amor proibido, uma menina normal com um cara diferente...
Existem muitos mistérios em Mullaby (Carolina do Norte), quando Emily, de 17 anos, chega à cidade para morar com o avô. Seu avô – Vance - é um gigante e parece que não gostou muito da ideia de cuidar dela (mas é só impressão, pois na verdade ele estava com medo), o papel de parede do seu quarto muda inexplicavelmente (depois descobrimos que é de acordo com seu humor), e uma mulher com uma história triste faz bolos com cheiro de esperança.
Ela logo se sente atraída por Win, que vai ter que enfrentar a família dele para conseguir levar o relacionamento adiante – parte sobrenatural da história-, e ela se torna muito amiga da vizinha, uma pessoa mais velha, que acaba a ajudando muito, e por incrível que pareça, também tem uma história de amor mal resolvidíssima.
Ao mesmo tempo em que acontece a história principal, acontece a história da vizinha dela, a mulher dos bolos cheirosos – Julia-, que é tão linda e tocante quanto à de Emily. E isso me surpreendeu porque tinha horas em que eu não queria saber da Emily, queria saber da mulher da mecha de cabelo cor de rosa :)
O livro também tem conflitos, o que o deixa mais dramático e emocionante, e tem uma parte, quando contam o maior segredo do livro (para mim) que é o de porque a mãe de Emily deixou a cidade, que eu quase chorei imaginando a cena.
Também adorei que a Júlia conseguiu atingir o seu objetivo com seus bolos, que era atrair uma pessoa muito importante para ela! Nos ensina a ver a magia das coisas, e que por pior que as coisas possam parecer, elas vão melhorar.

A trama do livro é muito bem feita, e mesmo tendo alguns mistérios tendo ficados inexplicados, como por exemplo a altura do avô, eu leria de novo!


4 comentários:

  1. Oi Cris,
    Nunca tinha lido nenhuma resenha do livro que parece ser bem bacana. Confesso que não fiquei muito animada para ler por agora, mas quem sabe um dia.
    bjs

    OBS: Que bom que voltou a postar no blog!!!!

    entrepaginasesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joyce! - desculpe não estar logada mas to no PC da empresa rs.
      Ah viu sou inovadora lançando novas resenhas!
      É um bom livro pra espairecer, sabe, é legal :) se um dia tiver oportunidade, de uma chance rs.

      Também estou feliz de ter voltado!
      Beijos.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá, adorei a resenha, é a primeira que leio desse livro mas já me interessei. Abraços
    http://capadavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir