Páginas

26 de nov de 2012

Resenha: Puros - Julianna Baggott

Pressia pouco se lembra das explosões ou de sua vida no Antes. Deitada no armário de dormir, nos fundos de uma barbearia em ruínas onde se esconde com o avô, ela pensa em tudo o que foi perdido. Agora, é uma época em que todos os jovens são obrigados a se entregar às milícias para, com sorte, serem treinados ou, se tiverem azar, abatidos. Pressia não pode mais fingir que ainda é uma criança, sua única saída é fugir.
 Houve, porém, quem escapasse ileso do Apocalipse.
 Esses são os Puros, mantidos a salvo das cinzas pelo Domo, que protege seus corpos saudáveis e superiores. Partridge é um desses privilegiados, mas não se sente assim. Filho de um dos homens mais influentes do Domo, ele, assim como Pressia, pensa nas perdas. São dois universos opostos que se chocam, quando Pressia e Partridge se encontram, porém, eles logo percebem que para alcançarem o que desejam, e continuar vivos, precisão unir suas forças.


Puros é um história silenciosamente cruel, a narrativa é obscura, sufocante e flui perfeitamente bem, é até complicado explicar o tipo de escrita, perturbador, mas também belo.
 Pressia tem apenas 15 anos e é uma sobrevivente das explosões, um holocausto nuclear global que transformou a vida de todos. Quando aconteceram as explosões, os seres humanos foram fundidos com qualquer material próximo a eles, seja areia, pedra, árvore, metal, vidro, animal e até mesmo humanos, tornando os sobreviventes em seres anormais, passando a viver na miséria total.
 Enquanto alguns sofreram com as explosões, outros não foram afetados, os Puros. Estes foram o seleto grupo de privilegiados que vivem no Domo, que é cheia de segredos. Enquanto os miseráveis lutam para sobreviver, aqueles dentro do Domo ficam assistindo e esperam com um plano próprio.
 Pressia vive na miséria, batalhando para garantir alimente para ela e seu avô, um homem velho que respira através de uma ventoinha no pescoço. Por outro lado, Partridge pensa na família que se desfez, com o pai emocionalmente distante, o irmão que cometeu suicídio e a mãe que não conseguiu chegar ao Domo. A sensação de que o Domo se tornou uma prisão gera uma claustrofobia no jovem, com regras extremamentes rígidas. Quando uma frase dita sem querer dá a entender que sua mãe pode estar viva, ele arrisca tudo e sai à procura dela.
 No meio da história, Partridge foge do Domo e acaba se encontrando com Pressia, uma amizade nada amistosa surge e eles partem numa aventura sem fim, procurando a mãe do garoto, que supostamente esta viva. Amigos vão surgindo, o romance começa a aparecer e as coisas vão esquentando. Pressia e Partridge são apenas peças em um jogo mortal, onde os piores segredos ainda são mantidos, os que eles confiavam são traidores, e os que pareciam ser traidores, no fundo são amigos.
 De acordo com a evolução da história os jovens descobrem um parentesco entre eles, vão se conhecendo melhor e dividindo suas lembranças, que são tudo que eles possuem e descobrem que viveram uma mentira todos esses anos.
 O final do livro deixa aquele gosto de quero mais, uma vontade de começar a ler o seguinte o mais rápido possível, sem perder tempo. E quando a leitura termina, concordamos com Bradwell, um importante personagem na trama do começo ao fim, que diz que há horrores que não podemos nos dar ao luxo de esquecer, todos têm cicatrizes, e isso significa sobrevivência.


Editora: Intrinseca
Ano: 2012
Páginas: 368
Escritora: Julianna Baggott



22 comentários:

  1. Oi!
    Eu sinceramente não tenho vontade de ler esse livro. Já li outras resenhas, até mesmo positivas, mas a história em si não me atrai.
    Não aguento mais distopias. rs
    Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me atraia no comecinho também Leandro, mas depois fui ficando bem interessado e valeu a pena.

      abraços!

      Excluir
  2. Eu tenho muita vontade de ler este livro, é um cenário tão sofrido e ao mesmo tempo empolgante. A resenha está ótima.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia Cida, o livro é muito bom mesmo. Tem alguns errinhos ortográficos, mas tirando isso é perfeito.

      Bjo!

      Excluir
  3. Não tenho muita vontade de ler esse livro
    não gostei da estoria
    e as resenhas não estão sendo muito positivas
    mas adoro a capa
    ^^
    parabéns pela resenha

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Capa é a melhor, muito boa mesmo e faz todo sentido, mas o livro é bom sim.

      Excluir
  4. Flor, só a sua resenha já me despertou emoçoes diversas imagine o livro, acho q no momento essa nao seria a melhor leitura pra mim ;s
    beijos
    http://nolimitedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk
      Camila, o livro é ótimo e vale muito a pena a leitura.

      Bjos!
      ;)

      Excluir
  5. Já tinha ouvido falar do livro, mas confesso que nunca me chamou atenção até agora. Sua resenha me fez ficar curiosa para conhecer um pouco mais sobre os anormais e puros e todos os segredos e conspirações que os envolve.

    profanofeminino.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, sou muito, mas muito critico em relação a livros, se eu nçao gosto, não gosto e ponto, pra eu falar bem de um livro, só sendo bom mesmo e este é.

      Bjos!

      Excluir
  6. Oi Markus,
    Esse livro ainda não conhecia, sua resenha me deixou bastante curiosa, ainda mais eu que gosto de distopias.
    Deve ser um tanto empolgante, vai pra minha lista :D
    Beijos

    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é empolgante sim Mari, leia, você vai adorar.

      Bjão!

      Excluir
  7. Poxa nunca li o livro...estou bem curiosa.
    Parabéns pela resenha.
    Bjosss

    http://www.livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Kelly!
      Se vc gostade distopias, esse é o livro.

      Bjão!

      Excluir
  8. Esse livro é bom mesmo, tive mais ou menos a mesma impressão que você. Ele é bem aterrador e sombrio, e os personagens são muito bem construidos. Embora eu não tenha ficado com gostinho de quero mais, estou bem curiosa sobre o que vai acontecer.

    Beijitos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já estou esperando o próximo Gabi. Estou contando os dias pro lançamento.

      Bjão!

      Excluir
  9. Olá!
    Sua resenha me deixou super curiosa para ler esse livro! Não o conhecia, mas o modo como você descreveu o enredo mostra que é o tipo de livro que eu adoro. Vou incluir na minha lista de leituras para essas férias.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é ótimo Niki, leia, você vai gostar.

      Bjão!

      Excluir
  10. Eu to meio "averso" a distopias. Comecei Delirio e parei no meio, não abandonei. Sei lá, são leituras que pra mim tão fugindo um pouco do comum, mas não sendo originais o suficiente. To meio romantico agora, e lendo livros mais lights rsrsrs
    Abç Markos.
    Lucas, Descobrindo Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não gosto de romances, fujo deles, as vezes leio um outro, mas desde que não sejam melosos.
      O livro é bom, é uma distopia bem interessante.

      Abraços!

      Excluir
  11. Quero ler esse livro! Apesar de tudo o que eu posa ouvir falar dele, necessito dele.
    Venho lendo livros sem graça e só fazendo resenhas negativas. Se ele for realmente como você disse, Deixa um anseio pela continuação. já ,e dou por convencida pára l^-lo.
    Bjs e até mais.

    Só um aviso. Passe no meu blog no dia 30/11, sexta-feira, pois irei indica-lo para um meme, ok?
    Até lá.

    Laryssa
    www.literaturaummundoparapoucos.blogspor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é muito bom sim Laryssa, a história é demais, bem envolvente.
      E obrigado pelo selo, vou ver sim e participar.
      ^^

      Bjão!

      Excluir