Páginas

2 de dez de 2012

Gênero Literário: Erótico


A literatura erótica esta em alta. Desde o lançamento de 50 Tons de Cinza, que foi descrito até como uma pornografia para mamães, o gênero ressurgiu e voltou com tudo, com vários outros títulos lançados no exterior o no Brasil. O problema deste gênero, atualmente, é que a temática é sempre igual, personagens que não se diferem muito, traumatizados e comportamentos abusivos e fora do comum, todos com mistérios cercando a vida.
 Os comportamentos que geralmente são apenas durante os atos sexuais, como a submissão e o controle total da pessoa, passaram para a vida fora do relacionamento.

 A literatura erótica é o gênero literário que utiliza o erotismo em forma escrita, para despertar ou instruir o leitor sobre as práticas sexuais, pode também ser chamada de literatura pornográfica, se as cenas sexuais são realmente muito explicitas. Em sua maior parte utiliza-se do gênero literário romance, embora alguns dos grandes clássico eróticos estejam em forma de conto ou poesia.
 O erotismo e o sexo estão associados à sociedade e a cultura humana desde o início dos tempos, e a literatura não foi uma exceção, embora tenha sido muitas vezes submetido à censura por ser considerado um tema reprovável e pecaminoso. Entretanto, são frequentes as referências a sexo ou passagens eróticas em várias obras, não como o tema principal, mas como capítulos isolados que contribuem para a evolução da história ou desenvolvimento de um personagem.

O gênero erótico vem desde o Império Romano, passando pela Idade Média, Era Vitoriana até chegar ao século 21 de uma maneira mais explicita e até mesmo concorrida. Sabe-se que o primeiro livro do gênero escrito foi o Kamasutra e o Jardim Perfumado, duas das mais conhecidas obras da literatura erótica do mundo. Desde 1970, muitos manuais tem sido publicados e abertamente vendidos no mundo ocidental, entre eles, A Alegria do Sexo, manuais eróticos escritos especificamente para minorias sexuais também estão sendo agora publicados.
 O advento das novas tecnologias também significou um aumento na produção de textos de literatura erótica, assim como em outras artes que envolvem o seco, como a fotografia ou o cinema pornográfico. O anonimato facilita a escrita e difusão de textos que podem ser inspirados em realidade ou que simplesmente satisfazem a imaginação e criatividade do autor.
 Temáticas normalmente proibidas ou reprovadas socialmente são comuns, como textos que remetem a varias parafilias como a pedofilia, incesto e a submissão.

Alguns livros do gênero (realmente bons):

A Vida Sexual de Catherine Miller, de Catherine Miller;
Cem Escovadas Antes de Ir Para a Cama, de Melissa Panarello;
Amêndoa, de Nedjma;
Teresa Filósofa, de Marquês d'Argens;
ecameron, de Giovanni Boccaccio;
Justine, Os Infortúnios da Virtude, de Marquês de Sade

Neste site é possível encontrar vários textos do gênero: História Erótica.

27 comentários:

  1. Belo texto,é um gênero não muito atrativo para mim,no entanto quando tem uma bom contexto e personagens interessantes não tenho problemas em ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O gênero não me agrada, nem sei porque li 50 tons de cinza... rs

      Excluir
  2. Gostei do post! Achei interessante este ponto de vista!
    tudodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    Sério não aguento mais ver essa capa de 50 tons, mas enfim realmente é um tipo de livro que está fazendo sucesso e não muda muito de um para outro.
    Quem sabe mais pra frente eu me interesse, mas acho dificl.
    Beijos
    http://marifriend.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, você disse tudo... rs
      Não mudam mesmo de um para o outro, acho o gênero bem chatinho e forçado.

      Bjão!

      Excluir
  4. Oi,
    Nunca cheguei a ler um livro erótico como 50 Tons de Cinza (também não aguento mais ver sua capa), acho que o livro que mais chegou perto de ser erótico lido por mim foi O Sonho de Eva que acabou mostrando-se uma ótima leitura.
    Belo post!
    Abraços!
    www.blogumjovemleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não leia Vinicius, eu mesmo odiei 50 tons, é horrível... rsrs.
      Existem livros bons, os antigos que coloquei na matéria são ótimos e já li alguns.

      Abraços!

      Excluir
  5. olá markos .. recebi seu recado na skoob descupes a demora para responde-lo ... semana de prova na faculdade ai é fogo ... adorei o estilo do seu blog meio dark meio grunge .. vc escreve com extrema pericia ... muito agradavel Ler seu textos ... eu estou te seguindo ...

    abraços !
    t+

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Xico, fico feliz por isso.
      Que bom que gostou do blog, ele esta sempre bem atualizado.

      abraços!

      Excluir
  6. A primeira vez que tive contato com esse tipo de literatura, foi com 100 Escovadas Antes de Ir para a Cama. Na época eu tinha uns 16 anos, eu acho, e todas as meninas da minha sala leram e passaram umas para as outras! Fiquei super animada, dá para imaginar néh?! Adolescente ainda rsrsrsrsrs

    Depois disso passei a ler os romances da Harlequim, já que até o momento, eram eles os donos da maioria de romances parecidos publicados aqui no Brasil. Eu gosto e sou uma leitora corrente deste tipo de leitura! Acho ótimo as editoras aproveitarem a oportunidade de publicar coisas mais desse gênero por aqui.. eu concerteza vou comprar todos!!! rsrsrsrs

    Adorei o post! bjokas e até breve!
    Roberta Sheyler
    http://sonhosliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Roberta, mas eu não sou fã do gênero então já viu né.
      As coleções da Harlequim são clássicos, li dois até hoje, não gostei, mas não posso falar que são ruins, são muito bem escritos na verdade.

      Bjão!

      Excluir
  7. Eu não posso negar: eu curto um livro erótico. Só que os autores perderam o dicionário e transformaram o erótico em algo vulgar, sabe? Muito sem noção.
    Eu gosto daquele erótico que envolve sensualidade, nada muito "Cinquenta Tons de Cinza". :/

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Luara, prefiro os livros mais antigos do gênero, que não é uma pornografia levada para a putaria mesmo.
      Até os livros eróticos perderam a noção da sensualidade e 50 tons de cinza é prova viva disso.

      Bjão!

      Excluir
  8. Oi kkkk sabe ainda não li nenhum muito erótico, nem esses da série 50 tons. Mas adoro o (pouco) erotismo de Richelle Mead!
    Eu ainda vou ler com certeza algum livro assim para conhecer a escrita e como é a história. Parabéns pelo post.
    Abraços

    Maurício Dias >> http://www.sonhosresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li 50 tons e me arrependi, foi uma leitura desnecessária pra mim.
      Não tem sensualidade, romantismo, só tem putaria e uma paixão sem noção.

      Abraços!

      Excluir
  9. Já li Cem Escovadas Antes de Ir Para a Cama, é muito bom

    www.cupcaketaste.com

    ResponderExcluir
  10. Talvez eu seja muito conservadora, mas Cinquenta Tons de Cinza não é literatura, é uma fanfic que fez sucesso e foi lançada como livro. Muitas fanfics são assim, explicitas. Não julgo pessoas que leem contos eróticos mas isso definitivamente não é pra mim x.x
    http://coisasdebelaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isabela, sou seu fã!
      Li o livro para saber mais do que se tratava, do porque toda a euforia. O livro é chato, desnecessário e sem noção e emoção alguma.
      Foi um tempo perdido a leitura.

      Bjão!

      Excluir
  11. Se tem um tipo de gênero literário no qual creio que não vou ler nem tão cedo, é o erótico. Sei lá, acho que por ser nova, não me sentiria bem lendo essas coisas. Não tenho nenhum tipo de preconceito com quem goste do gênero.
    Beijo!
    Doce sabor dos livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E nem queira ler Jeni, procure livros melhores... rs
      Perdi meu tempo lendo o livro, até vendi o meu... rs

      Excluir
  12. Adoro o gênero e autor que mais tenho predileção é Nelson Rodrigues que sempre tinha uma história envolvente e tórrida para contar através do buraco da fechadura.

    Abs.

    ResponderExcluir
  13. Mas é claro que Nelson também humaniza o seus personagens! Portanto não fica apenas mergulhado no gênero. Sempre tem algo a mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Rodrigo, isso é leitura erótica, não essa coisa chata e massante que é 50 tons.

      Abraços!

      Excluir
  14. Eu acho que este é um tema muito delicado! A pessoa tem que saber escrever, simples assim ;s Eu prefiro o erotico mais romantico do q o sadomasoquista, entao acho q minha preferencia seria sempre esta :D
    Beijos
    http://nolimitedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho Camila, tem que saber escrever mesmo.

      Bjão!

      Excluir
  15. Adorei o post, explicou bastante sobre o assunto.
    Eu li 50 tons por curiosidade mesmo e não gostei muito. Acho que a autora forçou um pouco.
    Marques de Sade é conhecido por seus livros polêmicos, mas não li nenhum ainda.
    bjs

    Joyce
    http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc, minha opinião é a mesma Joyce.

      Bjão!

      Excluir